Feeds:
Posts
Comentários

Paz e graça de Cristo seja com todos os leitores deste blog!

Para ilustrar o último post, sobre o atual estado de divisão na igreja evangélica, venho falar um pouco sobre a – provavelmente já conhecida -polêmica entre os pastores André Valadão e Olivar Alves, da Ig. Presbiteriana de São José dos Campos.

Resumo da ópera: após participar de um evento ao lado do grupo católico Rosa de Sarom, o pastor André  recebeu em seu blog oficial as críticas de Olivar. Entre réplicas e tréplicas, o tempo fechou.

Conclamo mais uma vez: irmãos, vamos nos unir! Existem diferentes ministérios, assim como existem diversas partes do corpo. Mas todos formam UM só corpo!

Há quem pregue em pleno carnaval, quem entre em bocas de fumo, quem pregue para ricos empresários, quem apascente grandes igrejas, quem funde pequenas igrejas em países mulçumanos hostis ao evangelho, quem pregue em um show de reggae, quem pregue na televisão, e quem fale de Deus pela internet.

Paulo declara em 1Cor. 12:4-11: “Ora, os dons são DIVERSOS, mas o Espírito é o MESMO. E também há DIVERSIDADE nos serviços, mas o Senhor é o MESMO. E há DIVERSIDADE nas realizações, mas o MESMO Deus é quem opera tudo em todos… UM SÓ e o MESMO Espírito realiza TODAS estas coisas, distribuindo-as como LHE APRAZ, a cada um, INDIVIDUALMENTE.”

Por que é tão difícil entender que somos membros de um corpo? Membros que têm funções diferentes, agem de forma diferente, mas todos em prol do mesmo corpo. Em nome de Jesus, não venha me falar que fulano pula, siclano prega devagar, e o outro prega como metralhadora! O que isso tem a ver com o Evangelho?! O que importa é que o Evangelho seja pregado! A forma de usar é Deus quem escolhe! Julguem a Palavra que é pregada, e não a roupa que o pregador usa, ou modo do pregador pregá-la, seja cantando, sussurando ou gritando!

Pessoalmente, não entendo o motivo do espanto pelo fato de André Valadão ter tocado com um grupo católico. Pergunta: quem precisa de médico? Os sãos? Quem precisa da Palavra? Os salvos?

Qual o sentido de pregar a Palavra somente para cristãos? É claro que o cristão precisa se alimentar todo dia, pois somos como a luz da manhã, que vai brilhando, brilhando, até ser dia perfeito. Mas o evangelho precisa ser pregado a toda criatura! Quantas pessoas que nunca estiveram numa igreja estavam naquele evento?

Será que Deus não opera, só porque ele estava junto com um grupo católico? Se assim fosse, ninguém poderia pregar, nem orar quando houvesse algum não-crente no meio, pois eles impediriam o agir de Deus.  Ora, onde estiverem dois ou mais reunidos no nome de Jesus, ali Ele estará presente.

O que você acharia se existisse um colunista cristão em todo jornal e revista secular, ou um apresentador falando de Jesus em toda emissora de TV e Rádio secular? Certamente não é a isso que a Palavra se refere ao falar em julgo desigual.

Não se esqueçam que o próprio Jesus foi condenado pelos FARISEUS por conviver com prostitutas, beberrões, e pecadores em geral. Fico pensado se Jesus viesse hoje, quantos o condenariam… Cuidado, os fariseus estão… dentro das igrejas!

Por fim, prefiro ficar sempre com a Palavra, que diz, em Mateus 10:27: “o que escutais ao ouvido pregai-o sobre os telhados.”

É isso pessoal, vamos exercitar o amor e levar ao evangelho até os confins da Terra!

Nessa estória, fico do lado de Jesus. E você, de que lado está?

Grande abraço, na fé, Broder James

Anúncios

Paz e Graça, amigos e irmãos. Efésios 4:4-5 é uma passagem fundamental na compreensão da unidade da Igreja Cristã: Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação; um só Senhor, uma só fé, um só batismo.”

Será que é essa unidade que se apresenta no meio evangélico brasileiro atual? A julgar pelo que tenho lido em alguns sites e blogs cristãos, definitivamente, a resposta é não!

Cheguei a ficar triste ao ver a quantidade de ataques, contendas, e disputas entre… cristãos!

A pergunta básica que devemos tentar responder é: quem é nosso inimigo, afinal? Ao meu ver, nossos inimigos são Satanás e seus demônios. Como disse Paulo em 2 Cor. 4-5: “as armas da nossa milícia não são carnais, mas poderosas em Deus, para demolição de fortalezas; derribando raciocínios e todo baluarte que se ergue contra o conhecimento de Deus.”

Por quê, então, estamos atacando irmãos na fé? Ou será que não consideramos aqueles que atacamos como irmãos? Será que achamos que o Senhor deles é diferente do nosso Senhor?

Para ser mais claro, estou me referindo a ataques entre diferentes denominações evangélicas. O que só louva hino da harpa fala mal do que toca louvores mais agitados com baixo, bateria e guitarra, e vice-versa. O que não faz barulho reclama do que faz barulho, e vice-versa.Parece que estamos atacando demônios, e não irmãos!

Certa vez, ouvi algo na televisão que não mais esqueci: “doutrina é como tempero, uns gostam com mais sal, outros gostam com pimenta, mas o importante mesmo é a comida.”

Queridos, é óbvio que as pessoas irão adorar a Deus de maneiras diferentes! Ou você acha que um culto na Índia seguirá a mesma liturgia que um culto em São Paulo?

Devemos atentar ao que temos em comum, e não às diferenças na casca. O que importa é o fundamento, a comida, e não a aparência, o tempero. A nossa comida é JESUS!

O fundamental é que pautemos nossas vidas, bem como os próprios cultos, na Palavra de Deus. Há outras coisas – como o tipo de música ou roupa, ou ainda se o homem deve usar bigode, barba ou rosto liso – que dependem do gosto, são culturais, não espirituais. O Espírito Santo NÃO se desagrada de um homem com barba ou de uma mulher com cabelo curto ou roxo.

O que é fundamental na nossa fé? Penso que é crer que Jesus é o Filho de Deus enviado para salvar o mundo. É acreditar que somente através de Jesus chegamos ao Pai. É saber que sem a santidade ninguém verá a Deus. É não esquecer que Jesus prometeu voltar para arrebatar UMA Igreja, UM povo santo, não uma placa de igreja.

Isso pode soar meio batido, mas a verdade é que não há nenhuma ordem de Jesus para que nos dividamos em diferentes denominações, mas sim para que nos ajuntemos para adorar, buscar e servir a Deus.

Por fim, antes de julgarmos a conduta de alguém, é necessário lembrar que não devemos transformar nossas experiências pessoais em doutrina, algo que talvez seja um dos grandes erros de muitos evangélicos dos nossos dias.

Analise o que diz o verso 7 de Efésios 4, dando continuidade ao trecho do início do post: “a cada um de nós foi dada a graça conforme a medida do dom de Cristo.”

As nossas experiências com Deus não são todas iguais, por isso, é necessária muita cautela antes de criticar alguém que se intitule cristão (mesmo que ele efetivamente não seja), já que a blasfêmia contra o Espírito Santo não terá perdão.

Não é porque você prega de terno que quem estiver de bermuda não é de Deus. E não é porque você ora baixinho que quem ora alto é escandaloso e carnal.

Experiência cada um tem a sua, o que importa é estar dentro da Palavra.

Grande abraço, na fé, Broder James

Olá amigos e irmãos, Shalom Adonai! Com esse post inicio efetivamente os trabalhos deste blog.

Começo com uma dica de livro que, tenho certeza, irá impactar sua vida, seja você um cristão fervoroso ou um ateu racionalista. Pode googlar o título para ver onde comprar: O homem do Céu,  Irmão Yun com Paul Hattaway, da Editora Betânia.

Esse ano estive no Encontro Profético da MCM (Missão Cristã Mundial). Dentre os pregadores, o mais esperado era, sem dúvidas, o chinês Yun.

Quem o via sorrindo e cheio de unção, talvez não imaginasse o quanto ele tinha sofrido por amor de Cristo e do evangelho. Nós, brasileiros, devemos agradecer a Deus por morarmos em um país onde o culto cristão é liberado, e onde podemos encontrar facilmente uma igreja de postas abertas. Na China não é assim…

O livro narra a conversão de Yun na zona rural da China, o fogo e amor que inflamaram seu coração para conhecer mais de Deus e compartilhá-Lo com o próximo, e também suas muitas perseguições.

Um mártir dos nossos tempos! Quando li o livro pude entender o que alguns pregadores queriam dizer ao falar que “o livro dos Atos não está completo”. Existem muitas pessoas escrevendo a história da igreja de Jesus a cada dia!

Confesso que me senti miserável ao ler a odisséia que os cristãos da China das décadas de 1970/80 atravessavam para poderem cultuar a Deus. Muitos não sabiam nem o que era uma Bíblia, pois havia sido proibida pelo governo. O irmão Yun, faminto da Palavra, orou e jejuou meses por uma Bíblia, até que o próprio Deus enviou dois servos de um lugar distante para presenteá-lo com uma.

O mais forte é saber das humilhações que Yun passou na cadeia, preso como revolucionário criminoso de alta periculosidade por… pregar o Evangelho! Ele foi espancado, chicoteado, recebeu choques, foi jogado em um tanque com fezes, além de receber na face a urina dos guardas e “companheiros” de prisão.

Mas, em tudo, Deus se fazia presente na vida dele, fortalecendo o seu espírito, ainda que  no exterior, estivesse magérrimo, à semelhança de uma criança de 30 quilos. Ele foi sustentado por Deus em um jejum de 75 dias na prisão, sem comer ou beber nada. Todos ali testemunharam o grande agir de Deus na vida de Yun!

Lembro da unção que emanava no Congresso em Goiânia, quando o irmão Yun ministrava, e eu estava a poucos metros dele, no púlpito. Sei que a Deus somente deve ser dirigida nossa adoração, mas como é bom poder estar ao lado de uma verdadeira testemunha de Jesus, que não negou Seu nome mesmo debaixo das piores agressões e humilhações.

É difícil ler esse livro e não ficar cheio de vontade de agradar a Deus, de buscar a  face Dele, de mortificar a carne e andar no Espírito, na direção da Jerusalém espiritual!

Ah, leia o livro, e entenda porque ele é conhecido como o Homem do Céu!

Grande abraço, na fé,

Broder James

Boas Vindas

Olá amigos e irmãos, a Paz do Senhor! Aqui fala o Broder James. A intenção desse blog é trazer pequenas mensagens baseadas na Bíblia Sagrada, bem como comentar notícias da atualidade, dar dicas de bandas, livros e clipes cristãos, e o que mais possa surgir de interessante.

Sinta-se à vontade para comentar, deixando sua opinião, testemunho, sugestão, crítica, etc.

Abraço, na fé,

Broder James (ou irmão Tiago para quem preferir! rsrs)